Palmeiras e vida

Quando o amor acaba.

“As torcidas de Vasco, Palmeiras e Corinthians têm uma particularidade. Só lotam de verdade quando o time está bem. A torcida do Flamengo é diferente disso. Ela vai em qualquer situação e está presente com o time, principalmente nos momentos em que está empolgando o seu torcedor”- Edmundo, 2016

Uma história de amor pode acabar em alguns minutos? Se você for um ídolo de uma grande torcida, com certeza! Tenho 28 anos, cresci no auge do Palmeiras-Parmalat e para essa geração alguns jogadores ficaram marcados, mas dois se tornaram emblemáticos a dupla de ataque Edmundo e Evair.

O segundo com certeza o maior ídolo de toda a geração pós-Divino/pré-Santo. O primeiro foi monstro, tão monstro que se tornou Animal. Mas se pararmos para analisar friamente sempre foi traíra, sua primeira passagem acabou com sua ida ao Flamengo em 1995. Um ano depois veio a facada no peito de todo palmeirense, aceitou ir jogar no maior rival. Graças a San Gennaro não ganhou nada por eles. 10 anos depois de manchar sua imagem, voltou ao Palestra! Foi perdoado. Fez juras de amor ao clube. Juras que voltou a repetir ano após ano.

“Quando cheguei aqui incorporei o espírito do torcedor. Parecia que era eu que estava tanto tempo sem conquista. E sentia que tinha a responsabilidade de dar ao torcedor do Palmeiras a alegria de sair daquela fila, daquele sofrimento” – Edmundo, 2013

Edmundo, se você incorporou o espírito de torcedor, deveria saber que a torcida do Palmeiras lotou estádio nos anos 80, lotou estádio nos momentos mais difíceis dos nossos 102 anos. Você foi perdoado uma vez e agora voltou a cuspir no prato que comeu. Sabe qual a diferença da gente pra você? A gente veste verde por amor e você por dinheiroArrivederci! 

“A mão que afaga é a mesma que apedreja.” – Augusto dos Anjos

 

Padrão